Qual seria o impacto de legalizar a maconha no Brasil ?

Um estudo elaborado por uma comissão de técnicos da Câmara dos deputados chamado: “Impacto Econômico da Legalização da Cannabis no Brasil” Procurou responder a essa pergunta: Qual seria o impacto de legalizar a maconha no contexto brasileiro? Eles encontraram como resposta um mercado de pelo menos R$5,69 bilhões ao ano.

O estudo considerou um número de maconheiros brasileiros  (2,7 milhões de brasileiros) pequeno, para “se calcular por baixo” como se diz. E fez as contas da arrecadação gerada se cada um desses maconheiros pudessem comprar até 40 gramas por mês , pelo preço de US$1,20 a grama. Que são as mesmas condições do programa uruguaio de distribuição.

O usuário brasileiro cansado de pagar esse preço na grama do prensado de péssima qualidade e correndo riscos para ter acesso a compra, com certeza se beneficiaria e aderiria a uma proposta dessas de legalização da cannabis. E a arrecadação de somente dessa parte da indústria cannabica seria de assombrosos R$5,69 bilhões. Isso quer dizer, R$5,69 bilhões a mais para serem taxados pelos órgãos governamentais, e para serem reenvestidos em educação anti-abuso , terapias de saúde (sempre quando opcionais) e uma formação mais adequada e aumento do salário das forças de segurança.

Sem falar do dinheiro que deixa de ser gasto com a fracassada guerra as drogas, o golpe econômico aplicado nas forças armadas marginais a lei. O dinheiro gasto com as prisões superlotadas de homens que não poderão se reintegrar a sociedade produtiva devido às marcas de um cárcere que mais parece a Universidade do Crime.

Essa singela arrecadação de R$5,69Bilhões tem tudo para ser muito maior, não só porque o número de usuários está subestimado. Mas também porque não foram considerados os possíveis ganhos com os empreendimentos relacionados ao universo canábico como Cânhamo Industrial, Gastronomia Canábica, Turismo, todo o avanço científico e desenvolvimento da Industria Farmacêutica através do uso medicinal da marihuana, Os produtores de insumos para agricultura e os benefícios para os próprios agricultores em si. Que ganham a oportunidade de optar por uma lavoura cujo o preço por kilo ensacado é bem maior.

No entanto, ao invés de unir esforços para divulgar esse mercado potencial para um país em meio a uma grande crise econômica e com o seu desenvolvimento humano e industrial patológicamente estagnado. Os governantes eleitos escolheram como objetivo central organizar eventos como a copa do mundo de futebol de 2014 e agora as olimpíadas no Rio de Janeiro.

 

Trazemos o “tema olímpico” para a questão pois recentemente foi noticiado na grande mídia nacional e internacional as “dólas” , trouxinhas” e diversas embalagens do tráfico carioca com os anéis olímpicos estampando a mercadoria para ser vendida durante o clima festivo das olimpíadas na cidade.

Ao mesmo tempo em que outra notícia ganhou espaço: Policiais Civis se manifestaram no aeroporto reclamando que não recebem pagamento e que não tem condições de proteger aos visitantes esperados na cidade olímpica.

A sugestão óbvia para resolver esse caos é a legalização da maconha (no mínimo, e iniciar projetos para legalizar todas as outras drogas como a fundação LEAP que tem como sócio-fundador delegado Zaccone defende) afinal, os ganhos financeiros e humanos de regulamentar esse mercado poderiam ao mesmo tempo aliviar o aparato policial sobrecarregado pela guerra às drogas e gerar ainda mais dinheiro para cobrir um salário maior e uma formação ampliada para as forças de segurança do estado ... e tudo mais que já estão todos cansados de saber.

Compartilhando esse artigo nas suas redes você deixa todo mundo saber que a cannabis salva vidas! E que é muito fácil cultivá-la e não financiar o tráfico armado.

LEIA TAMBÉM:

MACONHA E

ESCLEROSE

MÚLTIPLA

A MELHOR

MEDICINA É A ERVA

© desde 2015 PazInfinita.com